Titulo: NÃO SOMOS UM CATÁLOGO

Sub-Titulo: Professor de biologia em formação xy gay

Autor(a): LUCAS E LICENCIANDOS

Instituição:Universidade Federal do Amazonas

Ano:2020

clique na imagem para fazer Download


Vim de uma sociedade patriarcal, de uma cidade que culminavam os saberes culturais, e nasci pobre e gay. Mudei-me para uma cidade maior, que havia pessoas como eu que venceram e me mostraram que ser gay não era um “atalho para o inferno”. Sou um estudante de biologia na Universidade Federal Do Oeste Do Pará, que passei por perto de inúmeros preconceitos, mas que hoje eu sei que indo para cidade grande não posso demolir quem eu sou, como eu falo, não irei me prender e por uma aula de genética consegui me resolver e me aceitar. Na minha cidade natal, infelizmente eu serei desmoralizado e pelos meus pais deserdado, é uma realidade que ainda poucos enxergam o fato de um gay tentar viver em pleno a este século e na própria educação mostrarem um padrão que nos torna ainda mais indiferentes na sociedade e quando vivem tal realidade o preconceito e negação social extrapola. O preconceito a negros, mulheres, e LGBTi ainda é grande, ensinar sendo gay afeminado te torna uma pessoa que necessita de força, sou um Homem biológico normal, mas meu comportamento faz o mundo pensar que sou um erro para a educação. E desde quando ensino a ser gay? É algo a se pensar, mas muitos ainda são motivados pela pessoa que eu não sou, me odeiam por existir e fingiriam me amar se eu menos me mostrasse. O preconceito ainda é levado para o ensino, pois nunca me foi dito no ensino básico sobre que ser eu homossexual é normal e que é necessário respeitar pois é uma condição normal, precisei ser depressivo e vim para o ensino superior e em uma aula de genética por uma dúvida particular, que por sua vez provocou olhares, ser me mostrado que ser gay não é uma condição errada, mas algo totalmente normal. Na aprendizagem da biologia, nunca me foi apresentada a ideia sobre que a homossexualidade não era algo somente em mim ou da minha espécie só me foi apresentado o contexto do XY que representa o homem e o XX que representa a mulher, esqueceram de me explicar que existem variações que devem ser ministradas que diz a respeito gays, lesbicas, transexuais sem padronizar o que é ser homem e ser mulher , se tivesse obtido esse conhecimento todo o drama que passei poderia ser evitado, pois a educação ela salva e liberta. Os professores estão presos a uma ideia de ensino “robotizado” não expõe suas verdadeiras identidades e o verdadeiro conhecimento, convivi apenas com saberes biológicos rasos e sem tê-los no meu cotidiano o que dificultou em muito, e tem dificultado um aprendizado significativo. Eu não estudei as plantas, ou animais da minha região norte, mas aprendi o que eu nunca vi, mas que os poderes maiores determinaram para que eu aprendesse, pois é importante para eles, mas e quanto aos meus espécimes e a minha rica vegetação? Apenas ignoram. Minha fala é errada, meu bicho ninguém se importa em conservar, a biologia fica delimitada em docentes que se calam e aprendem a obedecer a um sistema falho, que tira o conhecimento regional, e não aproveitam o saber popular. Estudamos a biodiversidade do Sul onde apenas se torna um sonho de visitar, não aprendemos a valorizar quem somos o que temos o que falamos nosso linguajar, o saber do Sul só aprendemos a idolatrar e foi nos dada essa condição e os docentes se calam por um salário irregular, que educação é essa? Apagam o que somos do ensino, isto é, não motivam na educação o estudo e curiosidades de fauna e flora aqui do Pará, mas se interessam de explorar nossa terra, de devastar nossa vegetação, de criar hidrelétricas em busca de riquezas ignorando todo sentindo da vida aqui existente. Para quem reside fora do nosso Pará, somos apenas um lugar de mato que não tem o que se preocupar, trata-se de um lugar rico apenas para comprar e destruir por grandes porcentagens em dinheiro, empresas até internacionais visam nosso patrimônio para culminar a devastação, e por acordos e promessas com conjuntura governamental são permitidos a matar várias e espécimes e com elas habits de vários seres vivos. O investimento que tanto pregam, é desmoralizar nossas terras em construções poluidoras, é criar uma paisagem padronizada é empobrecer nossos rios, acabar com o ar limpo e saudável ainda existente, e findar de uma vez o que sobrou de nossa Amazônia, como se estivéssemos a venda, são aprovados a uma permissão que não podemos opinar. Diante a isso, afirmo que não somos um catálogo de para se comprar e que nossa voz não pode mais se calar.



Avalie a narrativa :

Deixe sua avaliação :


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional